18/07/2024

Sertanopolis News

Nada além da verdade!

Site do Genomas Paraná vai disponibilizar dados para a população e pesquisadores

3 min de leitura

Projeto busca identificar biomarcadores de predisposição genética para doenças crônicas não transmissíveis, como o câncer, a síndrome metabólica e comorbidades associadas (obesidade, diabetes, hipertensão e doenças cardiovasculares).

Com o objetivo de divulgar o trabalho realizado pelas equipes do Genomas Paraná, o projeto conta com um site que traz informações de interesse do cidadão sobre as ações desenvolvidas e os avanços da pesquisa. O Genomas Paraná busca entender as características da população paranaense, levando em consideração a saúde, o ambiente em que se vive, o estilo de vida, o histórico familiar e o perfil genético de cada pessoa, com foco na prevenção de doenças.

A iniciativa do Governo do Estado, por meio da Secretaria da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti) e Fundação Araucária, tem o apoio da Prefeitura de Guarapuava e busca descrever o perfil genético e epidemiológico da população do Paraná, começando com uma amostra representativa da cidade. O projeto conta com financiamento de R$ 3,12 milhões do Estado, sendo R$ 1,56 milhão do Fundo Paraná, dotação administrada pela Seti para o fomento científico e tecnológico paranaense.

Os primeiros meses de trabalho têm sido desenvolvidos pelas ruas do município a partir de uma amostragem aleatória com a aplicação de questionários e posterior coleta de material para a investigação genética da população.

“A receptividade da população tem sido ótima. A meta é atingir 4 mil participantes que representem a população de Guarapuava. Também serão sorteados 500 idosos com idade maior ou igual a 80 anos para participar da pesquisa”, explicou o responsável pelo programa e o Instituto para Pesquisa do Câncer de Guarapuava (IPEC), David Livingstone Figueiredo.

Por meio da construção de um banco de dados e uso de técnicas de Inteligência Artificial, o projeto busca identificar biomarcadores de predisposição genética para doenças crônicas não transmissíveis, como o câncer, a síndrome metabólica e comorbidades associadas (obesidade, diabetes, hipertensão e doenças cardiovasculares).

Segundo Livingstone, além de contemplar informações para o público em geral, o site também dará acesso, em breve, a esse banco de dados. “O objetivo do site é informar a população e, ao mesmo tempo, estamos desenvolvendo uma plataforma que permitirá o acesso para que os pesquisadores possam acompanhar os dados”, afirmou.

Morador do bairro Santa Cruz, João Carlos de Jesus, de 61 anos, foi entrevistado na pesquisa e disse que se sente muito feliz em fazer parte deste projeto e contribuir para com saúde do Paraná e do Brasil.

“Acredito muito nesta iniciativa e acho uma coisa benéfica para Guarapuava. Porque quando sabemos de uma doença, de um problema, fica muito mais fácil tratar e prevenir. Isto é captação de informação e só quem se informa consegue prosseguir e resolver os problemas que surgem. Informação é fundamental. Sei que desta pesquisa virão coisas boas para nossa população”, afirmou.

João Carlos disse que a credibilidade das instituições envolvidas no projeto foi ponto fundamental em sua decisão. “Eu conheci esta pesquisa pela televisão. Eu notei que se tratava de um programa sério. Depois que conferi os panfletos e notei as instituições responsáveis me senti muito mais confiante”, completou.

De acordo com o presidente da Fundação Araucária, Ramiro Wahrhaftig, ações como o Genomas Paraná podem trazer oportunidades excepcionais para tornar o Estado um centro de inovação e excelência em pesquisa. “A pesquisa genômica tem relevância mundial e temos capital intelectual para conquistarmos muitos avanços e inovações que refletirão na melhoria da qualidade de vida dos cidadãos paranaenses e brasileiros”, ressaltou .

“Há uma importante atuação do Novo Arranjo de Pesquisa e Inovação (NAPI) Genômica, que faz esta conexão entre pessoas de diversas linhas das pesquisas na área da genômica, que vão impactar na saúde humana e na agropecuária”, ressaltou o presidente da Fundação.

O site do Genomas Paraná é o www.ipec.org.br/genomas.parana.

Agência Estadual de notícias

Deixe seu comentário
Compartilhe
error: Conteúdo protegido!!