21/05/2024

Sertanopolis News

Nada além da verdade!

Bronca do Povo

2 min de leitura

Carta aos donos da rua
Amigos,
A quem pertence a rua?
Faço essa pergunta com humildade no coração, sem criar casos ou intrigas. As nossas ruas, além de servirem como acesso aos nossos endereços, representam a história de uma cidade. Observo as movimentações em minha querida Sertanópolis e fico pensando: será que as nossas ruas servem apenas como endereço?
Na minha humilde opinião, de alguém já calejado pela vida, acredito que não. As ruas não são simplesmente endereços, elas contam uma história, servem como espaço de memória, pois antes de nós, outros vieram e desbravaram esse sertão para que hoje tivéssemos uma cidade.
Nada mais justo do que honrar a história desses nobres guerreiros que escolheram um lugar inóspito para chamar de lar, que trouxeram os frutos da terra e hoje Sertanópolis é o que é, graças àqueles que amassaram aqui o barro, construíram, sozinhos, suas casas para que outros pudessem plantar e constituir família e morada.
Elogio com louvor os bravos vereadores que não ficaram em cima do muro e sabiamente homenagearam nossos pioneiros com nomes de ruas. Isso é identidade, isso é espírito bairrista e comunitário. Mais do que um nome aleatório, uma rua deve contar uma história, e nada mais justo do que honrar a história de nossos antepassados.
Será muito triste se, ao invés de honrar o nome dos nossos pioneiros, mantivermos nomes de ruas que em nada somam. Pois mais belo que a flor de laranjeira são as mãos de quem plantou e cultivou os sonhos da nossa cidade sertão. Que possamos continuar a valorizar e preservar a memória daqueles que moldaram o nosso presente e construíram o nosso futuro.

AUTOR ANÔNIMO

Deixe seu comentário
Compartilhe
error: Conteúdo protegido!!